BlackTDN Search

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Protheus :: Advpl's UDCs - User Defined Commands (Comandos Definidos Pelo Usuário ) Combo I

 UDCs - User Defined Commands (Comandos Definidos Pelo Usuário )


Iniciarei uma série de "posts" sobre os Comandos Definidos Pelo Usuário ou UDCs. Eles servem para pesquisa e substituição mais complexas pelo "pré-processador" do Protheus. 

UDCs são um método de converter comandos no estilo da linguagem em instruções. O pessoal de Tecnologia Protheus usam muito esse recurso pra facilitar a vida dos "programadores" da linguagem e são muito utilizados para facilitar a implementação e uso de funções ou de "objetos" que possuem muitos parâmetros onde a grande maioria são opcionais ou não.

Anteriormente em "Protheus :: Diretivas do Pré-Processador, Constantes Simbólicas e outros Bichos" explanei um pouco sobre a diretiva #DEFINE e iniciei um exemplo do uso de #TRANSLATE e #XTRANSLATE. Vamos nos aprofundar um pouco mais agora.

Considerando os exemplos para #DEFINE, podemos afirmar que os padrões de capacidade de comparação de #DEFINE são, às vezes, muito limitados. Essa diretiva será útil se precisarmos, apenas, que o "pré-processador" traduza uma seqüência de palavras-chaves separadas por argumentos ou para definir constantes. O grande problema de usar #DEFINE para comandos complexos é que, além de ser sensível a maiúsculas e minúsculas, o usuário do comando deverá garantir que os parâmetros sejam passados EXATAMENTE da forma em que foram declarados.

Para especificar um padrão de busca mais complexo podemos usas as diretivas #COMMAND e #TRANSLATE (bem como #XCOMMAND e #XTRANSLATE, explicarei a diferenças no decorrer da série).

Essas diretivas irão fornecer, ao "pré-processador", recursos de correspondência de padrões.

Usando-as, poderemos especificar um padrão de busca complexo e um padrão de resultado e o "pré-processador" se encarregará de fazer a conversão entre eles. Poderemos até especificar diferentes tipos de argumentos e métodos distintos de convertê-los, além de criar grupos de repetição e "ensinar" ao "pré-processador" como traduzi-los.

Um exemplo bem simples de UDC poderia ser:

#command PACK => __dbPack()

O "pré-processador" ao encontrar o comando PACK (que poderia ser escrito como Pack ou pack, não existe distinção entre maiúsculas e minúsculas: defina um padrão e procure segui-lo, como, por exemplo escrever os comandos das UDC´s sempre em maiúsculo) irá traduzi-lo na chamada à função __dbPack().

A tradução, nesse caso, será feita do Lado esquerdo ao símbolo => para o lado direito.

Poderemos especificar argumentos correspondentes ao lado esquerdo e por quais valores seriam substituídos no lado direito.

Chamaremos os argumentos da esquerda como "marcadores de comparação" e os da direita como "marcadores de resultado".

Existem várias normas de substituição e vamos analisá-las uma a uma no decorrer dessa série.

[]s
иαldσ dj

Baseado no original de Rick Spence (Spence, Rick - Clipper 5.2 / Rick Spence - Makron Books, 1994)

Um comentário:

  1. Opa,
    eai camarada.

    Vou te dar mais uma dica pra vc deixar seu nome na história.

    Eu estou pensando em criar ou pegar uma classe (C ou C# ou C++) que gera PDF e usar no Protheus para gerar um PDF.

    Como sou noob, estou encontrando dificuldades.
    Vc é o cara, quem sabe queria fazer esse desafio para os proximos posts.

    Att,
    Anonims

    ResponderExcluir