Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

🚀 Oferecendo Serviços Remotos de Desenvolvedor AdvPL e Mais 🖥️

🚀 Oferecendo Serviços Remotos de Desenvolvedor AdvPL e Mais 🖥️ Olá pessoal, Espero que este post encontre todos vocês bem! É com grande entusiasmo que compartilho que estou expandindo meus serviços como Desenvolvedor AdvPL para novos desafios e colaborações. Com mais de duas décadas de experiência sólida, minha jornada profissional tem sido enriquecedora, com a oportunidade de participar de projetos empolgantes ao longo dos anos. Agora, estou ansioso para trazer minha experiência e habilidades para novas equipes e projetos, trabalhando de forma remota. Minha expertise abrange não apenas AdvPL, mas também outras tecnologias-chave, incluindo JS, SQL, Infraestrutura e Otimização de Processos. Acredito que essa combinação de conhecimentos me permite oferecer soluções abrangentes e eficazes para uma variedade de necessidades de desenvolvimento. Acredito que a tecnologia tem o poder de transformar negócios e impulsionar o sucesso, e estou comprometido em ajudar meus clientes a alcançar seu

Protheus :: Advpl's UDCs - User Defined Commands (Comandos Definidos Pelo Usuário ) Combo I

 UDCs - User Defined Commands (Comandos Definidos Pelo Usuário )


Iniciarei uma série de "posts" sobre os Comandos Definidos Pelo Usuário ou UDCs. Eles servem para pesquisa e substituição mais complexas pelo "pré-processador" do Protheus. 

UDCs são um método de converter comandos no estilo da linguagem em instruções. O pessoal de Tecnologia Protheus usam muito esse recurso pra facilitar a vida dos "programadores" da linguagem e são muito utilizados para facilitar a implementação e uso de funções ou de "objetos" que possuem muitos parâmetros onde a grande maioria são opcionais ou não.

Anteriormente em "Protheus :: Diretivas do Pré-Processador, Constantes Simbólicas e outros Bichos" explanei um pouco sobre a diretiva #DEFINE e iniciei um exemplo do uso de #TRANSLATE e #XTRANSLATE. Vamos nos aprofundar um pouco mais agora.

Considerando os exemplos para #DEFINE, podemos afirmar que os padrões de capacidade de comparação de #DEFINE são, às vezes, muito limitados. Essa diretiva será útil se precisarmos, apenas, que o "pré-processador" traduza uma seqüência de palavras-chaves separadas por argumentos ou para definir constantes. O grande problema de usar #DEFINE para comandos complexos é que, além de ser sensível a maiúsculas e minúsculas, o usuário do comando deverá garantir que os parâmetros sejam passados EXATAMENTE da forma em que foram declarados.

Para especificar um padrão de busca mais complexo podemos usas as diretivas #COMMAND e #TRANSLATE (bem como #XCOMMAND e #XTRANSLATE, explicarei a diferenças no decorrer da série).

Essas diretivas irão fornecer, ao "pré-processador", recursos de correspondência de padrões.

Usando-as, poderemos especificar um padrão de busca complexo e um padrão de resultado e o "pré-processador" se encarregará de fazer a conversão entre eles. Poderemos até especificar diferentes tipos de argumentos e métodos distintos de convertê-los, além de criar grupos de repetição e "ensinar" ao "pré-processador" como traduzi-los.

Um exemplo bem simples de UDC poderia ser:

#command PACK => __dbPack()

O "pré-processador" ao encontrar o comando PACK (que poderia ser escrito como Pack ou pack, não existe distinção entre maiúsculas e minúsculas: defina um padrão e procure segui-lo, como, por exemplo escrever os comandos das UDC´s sempre em maiúsculo) irá traduzi-lo na chamada à função __dbPack().

A tradução, nesse caso, será feita do Lado esquerdo ao símbolo => para o lado direito.

Poderemos especificar argumentos correspondentes ao lado esquerdo e por quais valores seriam substituídos no lado direito.

Chamaremos os argumentos da esquerda como "marcadores de comparação" e os da direita como "marcadores de resultado".

Existem várias normas de substituição e vamos analisá-las uma a uma no decorrer dessa série.

[]s
иαldσ dj

Baseado no original de Rick Spence (Spence, Rick - Clipper 5.2 / Rick Spence - Makron Books, 1994)

Comentários

  1. Opa,
    eai camarada.

    Vou te dar mais uma dica pra vc deixar seu nome na história.

    Eu estou pensando em criar ou pegar uma classe (C ou C# ou C++) que gera PDF e usar no Protheus para gerar um PDF.

    Como sou noob, estou encontrando dificuldades.
    Vc é o cara, quem sabe queria fazer esse desafio para os proximos posts.

    Att,
    Anonims

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

BlackTDN :: RLeg ~ Desvendando a Função ParamBox

Para quem precisar desenvolver uma interface de entrada de dados, coisa rápida, e não quer ter aquele trabalhão danado que todos já sabemos, o Protheus tem uma função que ajuda muito, é uma interface semelhante a função Pergunte, porém com muito mais opção de objeto de entrada de dados, alias até colocar o scrollbox desta interface com todos os objetos em outra MsDialog ou Wizard é simples. Vejam o exemplo abaixo, boa sorte! Rleg. //---------------------------------------------------------- // Função exemplo utilizando a função ParamBox() //---------------------------------------------------------- User Function xParamBox() Local aRet := {} Local aParamBox := {} Local aCombo := {"Janeiro","Fevereiro","Março","Abril","Maio","Junho","Julho","Agosto","Setembro","Outubro","Novembro","Dezembro"} Local i := 0 Private cCadastro := "xParambox" // ---------------

BlackTDN :: Customizando a interface de Login no Protheus e by You

A publicação “ BlackTDN :: By You e sua nova tela de login ”  de nosso amigo OBona deu o que falar e, em função disso, esse que a muito não vos escreve resolveu criar uma versão onde será possível personalizar, “por completo”, a tela de login no Protheus/by You. Considerando que OBona já havia “mapeado, identificado e customizado” as imagens peguei-as emprestadas para o exemplo que se segue: O primeiro passo para a customização “total” da interface de login do Protheus/by You será implementar o “Ponto de Entrada” ChgPrDir (Diretório de impressão) . Usaremos esse PE juntamente como programa U_FindMsObject.prg (apresentado pela primeira vez em: Protheus :: ADVPL : The Container : Presents Pandora's box ). Diferente do exemplo proposto por OBona, que substitui, durante o processo de compilação, as imagens padrões do sistema (excluindo-as) por imagens customizadas (com o mesmo nome) este novo exemplo mantém, no RPO, as imagens padrões adicionando novas imagens customizadas que serã

Protheus :: Chamando Funções do Menu Diretamente e sem a Necessidade de Login

Ferne$ perguntou: "...é possível abrir alguma rotina do sistema sem solicitar login ao usuário, como por exemplo a rotina MATA010..." Sim Ferne$, é possível sim. Abaixo um Exemplo para a Chamada à função MATA010 sem a necessidade de Login no sistema. #INCLUDE "PROTHEUS.CH" #INCLUDE "TBICONN.CH" /*/ Funcao: MATA010Ex Data: 30/04/2011 Autor: Marinaldo de Jesus Descricao: Executar a Funcao MATA010 diretamente sem a necessidade de LOGIN no Protheus Sintaxe: 1 ) U_MATA010Ex ( Chamada diretamente na Tela de Entrada do Sistema ) ; ou 2 ) totvsclient.exe -q -p=u_MATA010Ex -a=01;01 -c=rnp_local -e=rnp -m -l ( Chamada Via Linha de Comando ) /*/ User Function MATA010Ex( cEmpFil ) Local aEmpFil Local bWindowInit := { || __Execute( "MATA010()" , "xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx" , "MATA010" , "SIGAFAT" , "SIGAFAT", 1 , .T. ) } Local cEmp Local cFil Local cMod Local cModName := "SIGAFAT" DEFA