BlackTDN Search

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

BlackTDN :: Davi e Golias :: Baseada em fatos Reais

 

As Histórias Épicas sempre chamam atenção por sua grandeza e poesia. Baseada no Grande Épico, Davi e Golias, a resenha que se segue tentará desbravar o lado "historiador" desse que teima em vos escrever.

A história se passa em uma grande empresa de software (à época não tão grande assim) mas de muito peso no mercado e da qual o SINDPD sentia-se desejoso em afiliados.

Costumeiramente, nos meses que antecedem a "Convenção Coletiva de Trabalho", os empregados do SINDPD, afiliados ou não, participavam (ou deveriam participar) das assembléias para definir o percentual de aumento, os benefícios, o piso salarial; dentre outras vantagens, para a “Categoria”. A questão que, normalmente, afora os funcionários de Empresas Estatais e/ou Mistas, os profissionais de empresas privadas de tecnologia, eram, na sua grande maioria apolíticos e individualistas e, por isso, ninguém dessa empresa, inclusive Davi,  participou das assembléias.

Briga vai, briga vem, SINDPD contra o Patronal o Patronal Contra o SINDPD e nada do "Acordo Coletivo" ser aprovado.

O que fora convencionado, em assembléia, pelos empregados não fora aceito pelo "Patronado". A Dissídio* então: e o Juiz é quem bateu o martelo. *(ações ajuizadas no Tribunal para solucionar conflitos entre as partes coletivas que compõem uma relação de trabalho)

Até aí tudo bem. O problema não era nem de Davi e muito menos dos outros "companheiros" de trabalho. A questão era que, por serem apolíticos e não participarem das decisões coletivas e coletivamente, todos teriam que arcar com uma tal de "Contribuição Confederativa/Assistencial": Por Lei, toda empresa é obrigada a descontar de seus funcionários, em março de cada ano, 1 Dia de salário a favor do Sindicado. Não bastasse isso, o SINDPD havia embutido, nas cláusulas da Convenção, o Desconto de alguns por centos do salário dos empregados (a seu favor) por um período ali estipulado.

Ou seja, Davi e seus “companheiros” teriam que, involuntariamente e por falta de participação política ativa, ceder um pouco mais do seu soldo, garantido com muito suor, ao SINDPD.

Davi revoltou-se com o desconto abusivo, e conhecedor dos Princípios Legais Trabalhistas e do fato de ninguém ser obrigado a filiar-se ou manter-se filiado a qualquer organização e/ou sindicado, elaborou uma carta e distribui a todos os demais na empresa. A questão é que alguns se interessaram e outros não. Uns tinham dinheiro de sobra e nem deram atenção ao pequeno Davi.

Alguns poucos compraram a idéia de Davi e foram ao SINDPD entregar carta de renúncia ao desconto. O pessoal do SINDPD, aproveitou o ensejo para tentar "enrolar" os insatisfeitos prometendo-lhes mundos e fundos e, principalmente, em busca de informações sobre a tal empresa. Davi nem se importou com os argumentos do SINDPD, seu único desejo era fazer com que o representante do SINDPD apusesse sua assinatura e o carimbo em sua carta de renúncia.

Outros não foram tão fortes quanto Davi, e se deixaram levar pelas palavras ludibriantes do representante SINDICAL. Com isso o SINDPD conseguiu informações valiosas que passou a usar contra a grande empresa de software onde, até então, não tinha entrado.

Muito tempo depois, uma reunião abrupta é convocada por Golias (o Todo poderoso VP da empresa de software). Os esporros e as ameaças foram poucos: "Quem não está satisfeito que peça demissão"…"Vamos cortar os benefícios e os intervalos para o café"… "Queremos saber quem é que está nos delatando ao SINDPD" e "blábláblá" … e "blábláblá".

Davi até então, estava quietinho, pensando em alguma solução para a questão de Horas Aleatórias e, depois de ouvir os "Gritos", "Berros" e “Falácias” de "Golias", e estar se perguntando do porquê de tudo aquilo e, principalmente, o porquê de estar ali ouvido todas aquelas baboseiras, retrucou: "Você até pode mandar  todo mundo embora, mas não pode tirar-lhes os direitos: mesmo aqueles cedidos por livre e espontânea vontade da empresa. Já virou direito adquirido. Além do mais; ao invés de ficar aí aos berros seria melhor ter chamado cada um individualmente e conversado sobre o assunto ou, até mesmo, um comunicado seria mais elegante e menos invasivo e constrangedor".

Golias avermelhou-se. Seu desejo era meter os dois pés no peito de Davi (que morria de rir, em silêncio, é claro) da ignorância do Todo Poderoso VP Golias (no que diz respeito às relações de trabalho).

Com isso a "reunião de esporros” findou-se e, a partir de então,  uma nova “Lenda Urbana” surgiu. Dizem que até hoje Golias tem pesadelos com o episódio.

PS.: Acho que ser presidente de sindicato é um cargo vitalício: O do SINDPD/SP já está no cargo a mais de 20 anos. Que acham de montarmos uma chapa para concorrermos e acabarmos com essa hegemonia, que, se não interrompida, tornar-se-a hereditária.

[]s

иαldσ dj

6 comentários:

  1. ..interessante!

    Aquele que 'detém' o poder e o exerce de forma estupida, teme a união e organização de seus liderados e fará de tudo para separa-los.. criando desde uma competição acirrada (interna e setorial) e ate mesmo conceder benefícios individuais, adestrando um vira-lata de guarda!

    O patrão injusto sabe que não há força em um elo de uma corrente se este não estiver junto a outros.

    Lembrando que não há líder se não houver liderados!

    ResponderExcluir
  2. Sempre que cruzo com o "VP" - W Godoy... (op´s.. escrevi d+), acabo tendo surto de riso ao lembrar disso... hehehe!!!! Justo ele q se acha o tal e nao gosto de levar desaforo pra casa...rsrs

    ResponderExcluir
  3. É o senhor WG sempre com essa histórinha de que "Não esta satisfeito que peça demissão" eu consegui faze-lo me demitir o que foi muito bom para meu bolso :) e ruim para o dele, se bem que acho que nem Cocegas causou né... mas nem que seja um pouco consegui meus direitos...

    Na T... o pessoal fica dizendo que na rua esta ruim tem cara bom suportando a 15 anos salario baixo e humilhação, respondo aqui na rua é o céu... a unica coisa que me incomoda é não ter o SS atualizado diariamente :) de resto é muito melhor que estar na T....

    ResponderExcluir
  4. Meu caro anônimo, sinto em informar-lhe que, se você recebia, costumeiramente a verba denominada "Prêmio", que os seus direitos não foram totalmente reconhecidos e pagos pela sua última empregadora. Isso porque ela usa de um artifício para enganar, não só ao trabalhador, como ao Ministério do Trabalho e Sindicato. Para sua ciência, Integra ao Salário, para todos os fins e efeitos, inclusive com incidência sobre o RSR/DSR toda remuneração paga de forma "costumeira" ao empregado, no caso o Prêmio. Acontece que, esse empregador a que se refere usa do seguinte artificio para o pagamento do Prêmio e "mascara" a sua incidência no RSR/DSR: Se, por exemplo, o valor a ser-lhe pago, mensalmente, como prêmio, fosse de R$ 500,00, além desse valor, você deveria receber valor correspondente ao prêmio sobre RSR/DSR, ou seja 500 / numero de dias úteis * domingos e feriados.

    Prêmio Sobre RSR:DSR = ( ( valor total do prêmio no mês ) / número de dias úteis x domingos e feriados do mês )

    Por exemplo: Jan/2012, temos para a Cidade do Rio de Janeiro, 21 dias uteis com 6 Dias de Domingos/Feriados Teremos: Prêmio sobre RSR:DSR = ( ( 500 / 21 ) * 6 ) = ( 23,80952380952381 * 6 ) = 142,8571428571429. Ou seja, além dos R$ 500,00 de Prêmio o funcionário deverá receber mais R$ 142,86 de Prêmio sobre o RSR:DSR totalizando: R$ 642,86.

    Só que não é esse o valor que a empresa paga. Ela faz o seguinte. Qual o valor do Prêmio do camarada R$ 500,00. OK, vamos fazer ele receber apenas os R$ 500,00, mas da seguinte forma: Vai efetuar um cálculo de forma a simular a integração do Prêmio no DSR onde o Total da Soma Prêmio mais DSR será R$ 500,00 no Exemplo, esse valor será Prêmio sobre RSR:DSR = ( ( 388.9 / 21 ) * 6 ) = ( 18,51904761904762 * 6 ) = 111,1142857142857. Logo, o Prêmio sobre RSR:DSR na T será R$ 111,11 e o Prêmio Total Será: R$ 388.90 + R$ 111,11 = R$ 500,01. Depois publico o algoritmo utilizado.

    Percebeu a perda? Está recebendo R$ 500,01 quando deveria receber R$ 642,86.

    ResponderExcluir
  5. É isso mesmo Naldo. É dessa forma que é feito. O que me deixa abismado é que acontece esse problema Todos sabem que esta errado e aceitam. Se for na ponta do lapis ate o MT tem como saber que esta errado, basta ver a quantidade de horas trabalhadas que estão nas OS e fazer o calculo sobre o valor de hora que lhe é pago/prometido.

    ResponderExcluir
  6. Um conselho. Guarde cópia de Todas as OS Assinadas.

    ResponderExcluir