Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

🚀 Oferecendo Serviços Remotos de Desenvolvedor AdvPL e Mais 🖥️

🚀 Oferecendo Serviços Remotos de Desenvolvedor AdvPL e Mais 🖥️ Olá pessoal, Espero que este post encontre todos vocês bem! É com grande entusiasmo que compartilho que estou expandindo meus serviços como Desenvolvedor AdvPL para novos desafios e colaborações. Com mais de duas décadas de experiência sólida, minha jornada profissional tem sido enriquecedora, com a oportunidade de participar de projetos empolgantes ao longo dos anos. Agora, estou ansioso para trazer minha experiência e habilidades para novas equipes e projetos, trabalhando de forma remota. Minha expertise abrange não apenas AdvPL, mas também outras tecnologias-chave, incluindo JS, SQL, Infraestrutura e Otimização de Processos. Acredito que essa combinação de conhecimentos me permite oferecer soluções abrangentes e eficazes para uma variedade de necessidades de desenvolvimento. Acredito que a tecnologia tem o poder de transformar negócios e impulsionar o sucesso, e estou comprometido em ajudar meus clientes a alcançar seu

Protheus :: Programação Básica em Advpl “Combo XVI”

Estruturas de controle:

Como acontece com a maioria das linguagens, o Advpl fornece instruções para suportar desvios e loops. As instruções de desvio permitem que seus programas selecionem entre alternativas; as instruções de loops permitem executar um grupo de instruções repetidas vezes.

Desvio:

No Advpl existem dois métodos de desvio: o bloco de instruções IF/ELSE/ELSEIF/ENDIF ou o bloco DO CASE/ENDCASE. ELSEIF é apenas uma abreviação que evita a necessidade de se escrever outro IF/ENDIF. Os dois exemplos que se seguem são equivalentes:

IF ( nX < 10 )
...
Else
IF ( nX > 20 )
...
EndIF
EndIF

ou

IF( nX < 10 )
...
ElseIF ( nX > 20 )
...
EndIF

Observe que, como o Advpl sempre insiste num ENDIF encerrando todo o bloco de IF, sempre saberemos a quem pertence um Else.

Obs.: Ao testar várias condições, é preferível uma instrução CASE a uma longa seqüência de IF/ELSEIFs. Na implementação das instruções CASE, o Advpl avalia uma condição de cada vez, até encontrar uma verdadeira. Em seguida ele avalia todas as instruções até o próximo CASE, ENDCASE ou OTHERWISE e, finalmente, salta para a instrução seguinte ao ENDCASE.

A cláusula OTHERWISE serve como última condição; ela localiza toda situação não correspondida por um CASE anterior.


BEGIN SEQUENCE/END

O par BEGIN SEQUENCE/END oferece outro método de desvio. Use-o para delimitar um bloco de codificação; em seguida, a partir de qualquer local dentro dele, você poderá emitir uma instrução BREAK. Ele passará o controle para a instrução seguinte ao END.

Exemplo:

BEGIN SEQUENCE

IF ...

IF ...

IF ...
Break
EndIF
EndIF
EndIF

...

END SEQUENCE

BEGIN SEQUENCE pode ser aninhado; um BREAK passará o controle para o END mais próximo


BEGIN SEQUENCE

IF !(... )
BREAK
ENDIF

BEGIN SEQUENCE

IF ...
BREAK
ELSEIF ...
BREAK
ENDIF

IF ...
BREAK
ELSEIF ...
BREAK
ENDIF

END SEQUENCE
...
END SEQUENCE

...

O uso básico de BEGIN SEQUENCE é manipular exceções. Ele fornece um local adequado para saltar quando ocorre um erro. Podemos usá-lo como um ponto de interrupção para a lógica profundamente aninhada. Por exemplo, vamos supor que precisemos testar três condições, mas só possa testar uma após o término com êxito da anterior ( como uma seqüência de bloqueios de arquivos ). Usando o aninhamento tradicional escreveríamos:

IF
...
...
IF
...
...
IF
...
...
ENDIF
ENDIF
ENDIF

Usando BEGIN SEQUENCE, poderíamos escrever:

BEGIN SEQUENCE

IF !
BREAK
ENDIF

...
...

IF !
BREAK
ENDIF




IF !
BREAK
ENDIF

END SEQUENCE

Pode-se, também, colocar uma instrução RECOVER dentro de um par BEGIN SEQUENCE/END. Quando seu programa executar, subseqüentemente, uma instrução de interrupção, o controle será transferido para a instrução RECOVER em vez de para o END.

Obs.: Tenha cuidado usar BEGIN SEQUENCE e BREAK; poderemos criar uma codificação ilegível
com o uso excessivo desse par.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BlackTDN :: RLeg ~ Desvendando a Função ParamBox

Para quem precisar desenvolver uma interface de entrada de dados, coisa rápida, e não quer ter aquele trabalhão danado que todos já sabemos, o Protheus tem uma função que ajuda muito, é uma interface semelhante a função Pergunte, porém com muito mais opção de objeto de entrada de dados, alias até colocar o scrollbox desta interface com todos os objetos em outra MsDialog ou Wizard é simples. Vejam o exemplo abaixo, boa sorte! Rleg. //---------------------------------------------------------- // Função exemplo utilizando a função ParamBox() //---------------------------------------------------------- User Function xParamBox() Local aRet := {} Local aParamBox := {} Local aCombo := {"Janeiro","Fevereiro","Março","Abril","Maio","Junho","Julho","Agosto","Setembro","Outubro","Novembro","Dezembro"} Local i := 0 Private cCadastro := "xParambox" // ---------------

BlackTDN :: Customizando a interface de Login no Protheus e by You

A publicação “ BlackTDN :: By You e sua nova tela de login ”  de nosso amigo OBona deu o que falar e, em função disso, esse que a muito não vos escreve resolveu criar uma versão onde será possível personalizar, “por completo”, a tela de login no Protheus/by You. Considerando que OBona já havia “mapeado, identificado e customizado” as imagens peguei-as emprestadas para o exemplo que se segue: O primeiro passo para a customização “total” da interface de login do Protheus/by You será implementar o “Ponto de Entrada” ChgPrDir (Diretório de impressão) . Usaremos esse PE juntamente como programa U_FindMsObject.prg (apresentado pela primeira vez em: Protheus :: ADVPL : The Container : Presents Pandora's box ). Diferente do exemplo proposto por OBona, que substitui, durante o processo de compilação, as imagens padrões do sistema (excluindo-as) por imagens customizadas (com o mesmo nome) este novo exemplo mantém, no RPO, as imagens padrões adicionando novas imagens customizadas que serã

Protheus :: Chamando Funções do Menu Diretamente e sem a Necessidade de Login

Ferne$ perguntou: "...é possível abrir alguma rotina do sistema sem solicitar login ao usuário, como por exemplo a rotina MATA010..." Sim Ferne$, é possível sim. Abaixo um Exemplo para a Chamada à função MATA010 sem a necessidade de Login no sistema. #INCLUDE "PROTHEUS.CH" #INCLUDE "TBICONN.CH" /*/ Funcao: MATA010Ex Data: 30/04/2011 Autor: Marinaldo de Jesus Descricao: Executar a Funcao MATA010 diretamente sem a necessidade de LOGIN no Protheus Sintaxe: 1 ) U_MATA010Ex ( Chamada diretamente na Tela de Entrada do Sistema ) ; ou 2 ) totvsclient.exe -q -p=u_MATA010Ex -a=01;01 -c=rnp_local -e=rnp -m -l ( Chamada Via Linha de Comando ) /*/ User Function MATA010Ex( cEmpFil ) Local aEmpFil Local bWindowInit := { || __Execute( "MATA010()" , "xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx" , "MATA010" , "SIGAFAT" , "SIGAFAT", 1 , .T. ) } Local cEmp Local cFil Local cMod Local cModName := "SIGAFAT" DEFA