Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

🚀 Oferecendo Serviços Remotos de Desenvolvedor AdvPL e Mais 🖥️

🚀 Oferecendo Serviços Remotos de Desenvolvedor AdvPL e Mais 🖥️ Olá pessoal, Espero que este post encontre todos vocês bem! É com grande entusiasmo que compartilho que estou expandindo meus serviços como Desenvolvedor AdvPL para novos desafios e colaborações. Com mais de duas décadas de experiência sólida, minha jornada profissional tem sido enriquecedora, com a oportunidade de participar de projetos empolgantes ao longo dos anos. Agora, estou ansioso para trazer minha experiência e habilidades para novas equipes e projetos, trabalhando de forma remota. Minha expertise abrange não apenas AdvPL, mas também outras tecnologias-chave, incluindo JS, SQL, Infraestrutura e Otimização de Processos. Acredito que essa combinação de conhecimentos me permite oferecer soluções abrangentes e eficazes para uma variedade de necessidades de desenvolvimento. Acredito que a tecnologia tem o poder de transformar negócios e impulsionar o sucesso, e estou comprometido em ajudar meus clientes a alcançar seu

Protheus :: "Static Function" fim da restrição de "escopo"

Li recentemente, em um documento oficial sobre a liguagem ADVPL que:

"Static Function
Funções ADVPL tradicionais, cuja visibilidade está restrita as funções descritas no mesmo arquivo de código fonte no qual estão definidas."

Será que isso é mito ou verdade.

Parafraseando Eisnten, "depende do ponto de vista de quem vê". É sabido por muitos, inclusive por aqueles que escrevem o manual de ADVPL da Totvs/Microsiga, que as "Static Function" estão restritas apenas ao arquivo fonte que as declarou. De uma certa forma isso é verdade. Mas, lembro-me de que quanto ainda trabalhava no desenvolvimento da "Microsiga", hoje IP, que isso sempre me intrigava. Será que existiria uma maneira de tornar uma "Static Function" visível "Globalmente" ou seja, será que eu poderia chamar uma "Static Function" declarada em um programa "x" no programa "y".

Depois de muito quebrar a cabeça, e pensando no funcionamento de um bloco de código, que ele extende a visibilidade de uma variável até a sua duração. Tive a seguinte idéia:

Já que uma "Static Function" só pode ser usada dentro do programa fonte que a declarou, se eu criar uma "Function ou User Function" (funções de escopo "global") que de uma certa forma as "exporte", tornando-as "visíveis" fora do seu limite, será que seriam executadas. Para minha surpresa essa premissa era e é verdadeira.

Para validar essa premissa escrevi a seguinte função:  BldcExecInFun()


1Function BldcExecInFun( cExecIn , aFormParam )
 2         
 3Local nAt
 4Local nParam
 5Local nParams
 6
 7DEFAULT cExecIn  := ""
 8
 9IF !Empty( cExecIn )
10DEFAULT aFormParam := {}
11 _SetOwnerPrvt( "__aFormais__" , aFormParam )
12 cExecIn := StrTran( cExecIn , " " , "" )
13 nParams := Len( __aFormais__ )
14 IF ( ( nAt := At( "(" , cExecIn ) ) > 0 )
5  cExecIn := SubStr( cExecIn , 1 , nAt )
16 Else
17  cExecIn += "("
18 EndIF 
19 IF ( nParams > 0 )
20  For nParam := 1 To nParams
21   cExecIn += "@__aFormais__["+AllTrim(Str(nParam))+"],"
22  Next nParam
23  cExecIn := SubStr( cExecIn , 1 , Len( cExecIn ) - 1 ) + ")"
24 Else
25  cExecIn += ")"
26 EndIF
27EndIF
28
29Return( cExecIn )
      

Bem, e pra que serve a BldcExecInFun()? Isoladamente não serve para nada. Mas se usada dentro dos programas que possuem "Static Function" ela permitirá que as "Static Function" ali declaradas, bem como as variáveis de escopo "Static" sejam exportadas e usadas em qualquer ponto do sistema.

Nos programas que disponibilizei para "download" no "post": Protheus :: WebService Nota Fiscal de Saida Tools (Versão Final) , tem um exemplo de uso. Por exemplo, o programa "u_wsUtils.prx", possui funções que deverão ser usadas pelos demais programas, considerando que é um programa customizado, para que as funções ali existentes pudessem ser usadas em outros programas eu deveria declará-las como "User Function". Mas não fiz isso. Existe apenas uma "User Function" as demais são todas "Static Function" e a única "User Function" não faz nada mais do que disponibilizar as "Static Function" para uso em outros programas do sistema. Ela faz uso da BldcExecInFun() para tornar as "Static Function" ali declaradas, apesar de restritas ao programa, de usabilidade "global" Ou seja, podem ser executadas em qualquer ponto do sistema.

A declaração da única função de "escopo global" foi feita da seguinte forma:


1: /*/
 2:  Função:  u_WsUtilsExec
 3:  Autor:  Marinaldo de Jesus
 4:  Data:  01/09/2010
 5:  Descrição: Executar Funcoes Dentro WsUtilsExec
 6:  Sintaxe: u_WsUtilsExec( cExecIn , aFormParam )
 7:  Parametros: <Vide Parametros Formais>
 8:  Retorno: uRet
 9:  Uso:  Disponibilizar as Static Functions desse prg para uso Geral
10: /*/
11: User Function WsUtilsExec( cExecIn , aFormParam )
12: 
13:  Local uRet
14:  
15:  DEFAULT cExecIn  := ""
16:  DEFAULT aFormParam := {}
17:  
18:  IF !Empty( cExecIn )
19:   cExecIn := BldcExecInFun( cExecIn , @aFormParam )
20:   uRet := &( cExecIn )
21:  EndIF
22: 
23: Return( uRet )
      

Ela é tão simples que existe mais documentação do que código.

Permitindo que as "Static Function" fossem usadas no programa "u_wsNFSService.prx" da seguinte forma:


//Retirando a mascara do CNPJ
 Self:CNPJ   := u_WsUtilsExec( "UnMaskCNPJ" , { Self:CNPJ } )
 
//Obtendo um ID Valido
aParameters := { cGetIdEntErr }
cIdEnt   := u_WsUtilsExec( "GetIdEnt" , @aParameters )
cGetIdEntErr := aParameters[1]

//Obtendo um ID Valido
aParameters := { cGetIdEntErr }
cIdEnt   := u_WsUtilsExec( "GetIdEnt" , @aParameters )
cGetIdEntErr := aParameters[1]

//Calculando a Paginação para apresantação do Resultado do WebService
aParamiters     := { nPagLim , nToReg , Self:nPagsDe , nPagIni , nPagFim }
nTotPags   := U_WsUtilsExec( "CalcNumPag" , @aParamiters )         
nPagIni   := aParamiters[4]
nPagFim   := aParamiters[5]
       

Observe que o "array" que serve de "parâmetro de Entrada" também torna-se, por referência, "Um parâmetro de Saída".

Bem, o Mito foi quebrado.

"Tô Certo!"

[]s
иαldσ dj

...

Comentários

  1. Vitor Emanuel Batista3 de setembro de 2010 às 14:49

    Poderia ser mencionado também a função StaticCall, sendo utilizado como exemplo abaixo:

    aRotina := StaticCall(MNTA010,MENUDEF)

    ResponderExcluir
  2. Grande Vitor!!!

    Tentei achar essa "tal" de StaticCall mas não consegui. Pelo menos no binário e RPO que estou utilizando não consegui encontrar. Não é Função Advpl pois não a achei com FindFunction("StaticCall"), não é função da API (pois não achei na pilha retornada pela __FunArr()), enfim, não existe (rs). Mas pelo que pude perceber ela exporta as opções do aRotina.

    Mas enfim,

    Valeu pela contribuição.

    "Tô Certo!"

    []s
    иαldσ dj

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

BlackTDN :: RLeg ~ Desvendando a Função ParamBox

Para quem precisar desenvolver uma interface de entrada de dados, coisa rápida, e não quer ter aquele trabalhão danado que todos já sabemos, o Protheus tem uma função que ajuda muito, é uma interface semelhante a função Pergunte, porém com muito mais opção de objeto de entrada de dados, alias até colocar o scrollbox desta interface com todos os objetos em outra MsDialog ou Wizard é simples. Vejam o exemplo abaixo, boa sorte! Rleg. //---------------------------------------------------------- // Função exemplo utilizando a função ParamBox() //---------------------------------------------------------- User Function xParamBox() Local aRet := {} Local aParamBox := {} Local aCombo := {"Janeiro","Fevereiro","Março","Abril","Maio","Junho","Julho","Agosto","Setembro","Outubro","Novembro","Dezembro"} Local i := 0 Private cCadastro := "xParambox" // ---------------

BlackTDN :: Customizando a interface de Login no Protheus e by You

A publicação “ BlackTDN :: By You e sua nova tela de login ”  de nosso amigo OBona deu o que falar e, em função disso, esse que a muito não vos escreve resolveu criar uma versão onde será possível personalizar, “por completo”, a tela de login no Protheus/by You. Considerando que OBona já havia “mapeado, identificado e customizado” as imagens peguei-as emprestadas para o exemplo que se segue: O primeiro passo para a customização “total” da interface de login do Protheus/by You será implementar o “Ponto de Entrada” ChgPrDir (Diretório de impressão) . Usaremos esse PE juntamente como programa U_FindMsObject.prg (apresentado pela primeira vez em: Protheus :: ADVPL : The Container : Presents Pandora's box ). Diferente do exemplo proposto por OBona, que substitui, durante o processo de compilação, as imagens padrões do sistema (excluindo-as) por imagens customizadas (com o mesmo nome) este novo exemplo mantém, no RPO, as imagens padrões adicionando novas imagens customizadas que serã

Protheus :: Chamando Funções do Menu Diretamente e sem a Necessidade de Login

Ferne$ perguntou: "...é possível abrir alguma rotina do sistema sem solicitar login ao usuário, como por exemplo a rotina MATA010..." Sim Ferne$, é possível sim. Abaixo um Exemplo para a Chamada à função MATA010 sem a necessidade de Login no sistema. #INCLUDE "PROTHEUS.CH" #INCLUDE "TBICONN.CH" /*/ Funcao: MATA010Ex Data: 30/04/2011 Autor: Marinaldo de Jesus Descricao: Executar a Funcao MATA010 diretamente sem a necessidade de LOGIN no Protheus Sintaxe: 1 ) U_MATA010Ex ( Chamada diretamente na Tela de Entrada do Sistema ) ; ou 2 ) totvsclient.exe -q -p=u_MATA010Ex -a=01;01 -c=rnp_local -e=rnp -m -l ( Chamada Via Linha de Comando ) /*/ User Function MATA010Ex( cEmpFil ) Local aEmpFil Local bWindowInit := { || __Execute( "MATA010()" , "xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx" , "MATA010" , "SIGAFAT" , "SIGAFAT", 1 , .T. ) } Local cEmp Local cFil Local cMod Local cModName := "SIGAFAT" DEFA