Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

🚀 Oferecendo Serviços Remotos de Desenvolvedor AdvPL e Mais 🖥️

🚀 Oferecendo Serviços Remotos de Desenvolvedor AdvPL e Mais 🖥️ Olá pessoal, Espero que este post encontre todos vocês bem! É com grande entusiasmo que compartilho que estou expandindo meus serviços como Desenvolvedor AdvPL para novos desafios e colaborações. Com mais de duas décadas de experiência sólida, minha jornada profissional tem sido enriquecedora, com a oportunidade de participar de projetos empolgantes ao longo dos anos. Agora, estou ansioso para trazer minha experiência e habilidades para novas equipes e projetos, trabalhando de forma remota. Minha expertise abrange não apenas AdvPL, mas também outras tecnologias-chave, incluindo JS, SQL, Infraestrutura e Otimização de Processos. Acredito que essa combinação de conhecimentos me permite oferecer soluções abrangentes e eficazes para uma variedade de necessidades de desenvolvimento. Acredito que a tecnologia tem o poder de transformar negócios e impulsionar o sucesso, e estou comprometido em ajudar meus clientes a alcançar seu

Protheus :: Programação Básica em Advpl “Combo XXX”

LOCAL, STATIC e MACROS:

As variáveis Local e Static não são mantidas na tabela de símbolos de execução, portanto, os programas que as utilizam executam com mais velocidade e menos memória. Uma conseqüência disto, conteúdo, é que não poderemos acessá-las a partir de expansão de macro. O operador de macros & ou a internal function __ExecMacro() compilam a codificação, durante o processo de execução, à partir de uma string de caracteres contendo uma expressão. Se a expressão citar uma variável, o sistema na execução precisará encontrá-la na tabela de símbolos. O problema com as Locai e Static, evidentemente, é que o sistema, por não armazená-las na tabela de símbolos, nas as encontra fazendo com que ocorra erro durante a execução do sistema se foram expandidas por macro.

Por exemplo:

nVar := 1
cVar := “nVar”

Alert( Str( &( cVar ) ) //ou Alert( Str( __ExecMacro( cVar ) )

Se nVar for uma variável Local, o programa falhará. Observe que cVar pode ser uma variável Local ou Static; mas só que qualquer coisa contida na string da expressão não pode ser uma Local nem uma Static. Uma forma de contornar isso seria usando blocos de codificação para poder referir-se a variável Local ou Static definidas em outro programa ou função.

Nota: Não é possível referir-se a variável Local ou Static dentro de uma expansão de macro.

A função Type() usa macros internamente. Use a função Type() para determinar o tipo de uma variável. Envie o nome da variável entre aspas, como em:

nVar := 1
cType := Type( “nVar” )

Alert( cType ) //”N”


O problema é que, se nVar for uma variável Local ou Static, a expansão interna da macro não a encontrará na tabela de símbolos e a função Type() retornará “U”, indicando que a variável não está definida.

Existe uma função semelhante, a ValType(). As principais diferenças entre ValType() e Type() são que ValType() realmente opera com variáveis Local e Static e não é preciso enviar os parâmetros de ValType() entre aspas, como em:

Local nVar := 1
Local cType := ValType( nVar )

Alert( cType ) //”N”

Pelo fato de não ser preciso colocar o parâmetro de ValType() entre aspas, a variável citada precisa ser declarada, caso contrário ocorrerá erro durante a execução. Uma variável pode ser declarada incluindo-a numa lista de parâmetros formais, seja como Private, atribuindo-se um valor a ela, seja como uma instrução de declaração explícita. Se ela não for declarada obteremos um erro de execução por estar tentando passar uma variável não definida para uma função. Observe, entretanto, que ValType() ainda retornará “U” se enviarmos a ela uma variável declarada, mas indefinida como em:

Local nVar
Local cType := ValType( nVar )

Alert( cType ) //”U”

Isso ocorre porque as variáveis, Private, Local e Static declaradas e não inicializadas tem sempre um valor NIL. Portanto, estamos passando, na realidade, NIL para ValType() e ela retornará um “U”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BlackTDN :: RLeg ~ Desvendando a Função ParamBox

Para quem precisar desenvolver uma interface de entrada de dados, coisa rápida, e não quer ter aquele trabalhão danado que todos já sabemos, o Protheus tem uma função que ajuda muito, é uma interface semelhante a função Pergunte, porém com muito mais opção de objeto de entrada de dados, alias até colocar o scrollbox desta interface com todos os objetos em outra MsDialog ou Wizard é simples. Vejam o exemplo abaixo, boa sorte! Rleg. //---------------------------------------------------------- // Função exemplo utilizando a função ParamBox() //---------------------------------------------------------- User Function xParamBox() Local aRet := {} Local aParamBox := {} Local aCombo := {"Janeiro","Fevereiro","Março","Abril","Maio","Junho","Julho","Agosto","Setembro","Outubro","Novembro","Dezembro"} Local i := 0 Private cCadastro := "xParambox" // ---------------

BlackTDN :: Customizando a interface de Login no Protheus e by You

A publicação “ BlackTDN :: By You e sua nova tela de login ”  de nosso amigo OBona deu o que falar e, em função disso, esse que a muito não vos escreve resolveu criar uma versão onde será possível personalizar, “por completo”, a tela de login no Protheus/by You. Considerando que OBona já havia “mapeado, identificado e customizado” as imagens peguei-as emprestadas para o exemplo que se segue: O primeiro passo para a customização “total” da interface de login do Protheus/by You será implementar o “Ponto de Entrada” ChgPrDir (Diretório de impressão) . Usaremos esse PE juntamente como programa U_FindMsObject.prg (apresentado pela primeira vez em: Protheus :: ADVPL : The Container : Presents Pandora's box ). Diferente do exemplo proposto por OBona, que substitui, durante o processo de compilação, as imagens padrões do sistema (excluindo-as) por imagens customizadas (com o mesmo nome) este novo exemplo mantém, no RPO, as imagens padrões adicionando novas imagens customizadas que serã

Protheus :: Chamando Funções do Menu Diretamente e sem a Necessidade de Login

Ferne$ perguntou: "...é possível abrir alguma rotina do sistema sem solicitar login ao usuário, como por exemplo a rotina MATA010..." Sim Ferne$, é possível sim. Abaixo um Exemplo para a Chamada à função MATA010 sem a necessidade de Login no sistema. #INCLUDE "PROTHEUS.CH" #INCLUDE "TBICONN.CH" /*/ Funcao: MATA010Ex Data: 30/04/2011 Autor: Marinaldo de Jesus Descricao: Executar a Funcao MATA010 diretamente sem a necessidade de LOGIN no Protheus Sintaxe: 1 ) U_MATA010Ex ( Chamada diretamente na Tela de Entrada do Sistema ) ; ou 2 ) totvsclient.exe -q -p=u_MATA010Ex -a=01;01 -c=rnp_local -e=rnp -m -l ( Chamada Via Linha de Comando ) /*/ User Function MATA010Ex( cEmpFil ) Local aEmpFil Local bWindowInit := { || __Execute( "MATA010()" , "xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx" , "MATA010" , "SIGAFAT" , "SIGAFAT", 1 , .T. ) } Local cEmp Local cFil Local cMod Local cModName := "SIGAFAT" DEFA