Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

🚀 Oferecendo Serviços Remotos de Desenvolvedor AdvPL e Mais 🖥️

🚀 Oferecendo Serviços Remotos de Desenvolvedor AdvPL e Mais 🖥️ Olá pessoal, Espero que este post encontre todos vocês bem! É com grande entusiasmo que compartilho que estou expandindo meus serviços como Desenvolvedor AdvPL para novos desafios e colaborações. Com mais de duas décadas de experiência sólida, minha jornada profissional tem sido enriquecedora, com a oportunidade de participar de projetos empolgantes ao longo dos anos. Agora, estou ansioso para trazer minha experiência e habilidades para novas equipes e projetos, trabalhando de forma remota. Minha expertise abrange não apenas AdvPL, mas também outras tecnologias-chave, incluindo JS, SQL, Infraestrutura e Otimização de Processos. Acredito que essa combinação de conhecimentos me permite oferecer soluções abrangentes e eficazes para uma variedade de necessidades de desenvolvimento. Acredito que a tecnologia tem o poder de transformar negócios e impulsionar o sucesso, e estou comprometido em ajudar meus clientes a alcançar seu

Protheus :: MSSQL :: Abstraindo com Full Outer Join

Dia deses precisei criar uma relação de [1:1] para efetuar um cálculo específico de rateio para contabilização do “Time Sheet” onde o valor de uma consulta subtrairia o  valor da consulta relacionada. Na correria não consegui solucionar o problema no cliente (estava na “hora do rush” e todos queriam ir embora) então levei a lição pra casa.

O Problema com o qual havia me deparado era o seguinte:

A Relação feita poderia resultar em: [ n : n ] , [ n  : ( n – 1 ) ] ou [ ( n – 1 ) :  n  ].

Quando [ n : n ] não teriamos problema, pois o conjunto de elementos n, na relação, seriam sempre equivalentes [ 1:1 ].

No segundo caso, em que a relação seria: [ n  : ( n – 1 ) ] também não teríamos problema, se a relação fosse da esquerda para a direita  uma vez que todo elemento do conjunto ( n – 1 ) estaria contido em n; o contrário não seria verdadeiro.

O mesmo poderíamos dizer quando a relação fosse: [ ( n – 1 ) :  n  ] com relacionamento da direita para a esquerda.

O problema: como definir a relação com apenas uma consulta?

Dependendo do relacionamento “da direita para esquerda / da esquerda para a direita”, poderíamos ter um sério problema: Elementos de n poderiam deixar de fazer parte da relação tornando o resultado final inconsistente.

Para a solução do Problema a relação deveria ser em ambas as direções, tanto da direita pra a esquerda quanto da esquerda para a direita. Neste caso teríamos uma relação do tipo: “FULL OUTER JOIN”.

OK. Consegui definir a relação. E os dados?

Em casa não tenho os dados para testar se o resultado da relação será ou não consistente.

A idéia, então, foi “ABSTRAIR”. Deveria “forçar” a relação de forma a “validar” o resultado. Para isso, usei duas tabelas, na qual tinha a certeza na possibilidade das relações [ n : n ], [ n : ( n - 1 ) ] e, se houvesse a relação [ ( n – 1 ) : n ], apesar dos dados estarem inconsistentes, seriam perfeitos para validar o algoritmo.

Essas tabelas seriam: SRA (Funcionários) : SRB (Dependentes) em que as relações possíveis são: [ n : n ], [ n : ( n - 1 ) ] sendo [ ( n – 1 ) : n ]  uma inconsistência (que no meu caso, uma bendita inconsistência).

Considerando que não teria os valores reais, precisaria simula-los. Então, para a coluna de valor utilizaria o campo R_E_C_N_O_ e para a relação RA_FILIAL :  RB_FILIAL e RA_MAT : RB_MAT

O Algoritmo, genérico, ficaria como:

image

que, baseado no seguinte Plano de Execução:

image

…me forneceria o seguinte resultado:

image

Os valores negativos são propositais, uma vez que de sua ocorrência, inverteriamos os Centros de Custo e Conta. Lembrando que esse é um exemplo ABSTRATO e que serviu apenas para validar o algorítimo. As tabelas e dados reais foram substituídos para a efetiva implementação.

Podemos observar que os resultados das “linhas” 1552:1556, apesar de inconsistêntes (existem dependentes sem funcionários), serviram para validar o algorítimo.

Problema resolvido!

Consulte (Microsoft:TechNet) :: Using Outer Joins para maiores detalhes.

Obtenha a “Query” do exemplo clicando aqui.

[]s

иαldσ dj

Comentários

  1. E a performance dessa query?

    ResponderExcluir
  2. A performance é satisfatória uma vez que os resultados principais são resolvidos e retornados pelas "subqueries" e a relação aplicada, apenas, aos resultados. De qualquer forma, analise o "Plano de Execução" para identificar possíveis gargalos buscando formas para otimizar a consulta.

    []s

    иαldσ dj

    ResponderExcluir
  3. Consulte o artigo: Exibindo planos de execução gráfica (SQL Server Management Studio)para maiores detalhes sobre "Planos de Execução"

    http://msdn.microsoft.com/pt-br/library/ms178071.aspx

    []s

    иαldσ dj

    ResponderExcluir
  4. Tem também: Tuning - Plano de Execução - Parte 1

    http://www.sqlmagazine.com.br/Colunistas/PauloRibeiro/08_Tunning_ExecutionPlan.asp

    ResponderExcluir
  5. Sugestão.

    Desmistificar o ACD!
    Tô frito!

    ResponderExcluir
  6. DESMISTIFICAR provém de "mistificar" e significa "acabar com o logro, desfazer a farsa, desmascarar".

    DESMITIFICAR provém de "mito" e significa "desfazer o mito, tirar o caráter de mito".

    Qual o Desejo? Acabar com o "Logro" ou o "Mito"? Não entendi????

    []s

    иαldσ dj

    ResponderExcluir
  7. Fazer oque vc sabe fazer.
    Desafiar o ACD para um post no blog...

    ResponderExcluir
  8. Ah, é isso. Tá desafiado. Qual a idéia?

    []s

    иαldσ dj

    ResponderExcluir
  9. ...to sem ideia, alias nem sei como isso funciona de fato!
    Por isso conto com vc, pois tudo que vc esmiuça eu entendo!

    VC EH O PAPAI!

    ResponderExcluir
  10. Apresente-me o seu amigo ACD. De onde ele veio? De traz do armazém. O que ele merece? a ....

    []s

    иαldσ dj

    ResponderExcluir
  11. (Merece a dor de cabeça de alguém!)

    Agora,
    Só um adendo sobre SQL, para quem tem curiosidade de ler comentários!

    http://msdn.microsoft.com/pt-br/library/bb510741(v=SQL.100).aspx

    ResponderExcluir
  12. tem outro desafio entao!

    precisei fazer uma crosstable, mas no advpl nao tem isso.

    Existem 2 caminhos, fazer via SQL ou criar uma manipulação via codigo AdvPL.

    Choose your destiny!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

BlackTDN :: RLeg ~ Desvendando a Função ParamBox

Para quem precisar desenvolver uma interface de entrada de dados, coisa rápida, e não quer ter aquele trabalhão danado que todos já sabemos, o Protheus tem uma função que ajuda muito, é uma interface semelhante a função Pergunte, porém com muito mais opção de objeto de entrada de dados, alias até colocar o scrollbox desta interface com todos os objetos em outra MsDialog ou Wizard é simples. Vejam o exemplo abaixo, boa sorte! Rleg. //---------------------------------------------------------- // Função exemplo utilizando a função ParamBox() //---------------------------------------------------------- User Function xParamBox() Local aRet := {} Local aParamBox := {} Local aCombo := {"Janeiro","Fevereiro","Março","Abril","Maio","Junho","Julho","Agosto","Setembro","Outubro","Novembro","Dezembro"} Local i := 0 Private cCadastro := "xParambox" // ---------------

BlackTDN :: Customizando a interface de Login no Protheus e by You

A publicação “ BlackTDN :: By You e sua nova tela de login ”  de nosso amigo OBona deu o que falar e, em função disso, esse que a muito não vos escreve resolveu criar uma versão onde será possível personalizar, “por completo”, a tela de login no Protheus/by You. Considerando que OBona já havia “mapeado, identificado e customizado” as imagens peguei-as emprestadas para o exemplo que se segue: O primeiro passo para a customização “total” da interface de login do Protheus/by You será implementar o “Ponto de Entrada” ChgPrDir (Diretório de impressão) . Usaremos esse PE juntamente como programa U_FindMsObject.prg (apresentado pela primeira vez em: Protheus :: ADVPL : The Container : Presents Pandora's box ). Diferente do exemplo proposto por OBona, que substitui, durante o processo de compilação, as imagens padrões do sistema (excluindo-as) por imagens customizadas (com o mesmo nome) este novo exemplo mantém, no RPO, as imagens padrões adicionando novas imagens customizadas que serã

Protheus :: Chamando Funções do Menu Diretamente e sem a Necessidade de Login

Ferne$ perguntou: "...é possível abrir alguma rotina do sistema sem solicitar login ao usuário, como por exemplo a rotina MATA010..." Sim Ferne$, é possível sim. Abaixo um Exemplo para a Chamada à função MATA010 sem a necessidade de Login no sistema. #INCLUDE "PROTHEUS.CH" #INCLUDE "TBICONN.CH" /*/ Funcao: MATA010Ex Data: 30/04/2011 Autor: Marinaldo de Jesus Descricao: Executar a Funcao MATA010 diretamente sem a necessidade de LOGIN no Protheus Sintaxe: 1 ) U_MATA010Ex ( Chamada diretamente na Tela de Entrada do Sistema ) ; ou 2 ) totvsclient.exe -q -p=u_MATA010Ex -a=01;01 -c=rnp_local -e=rnp -m -l ( Chamada Via Linha de Comando ) /*/ User Function MATA010Ex( cEmpFil ) Local aEmpFil Local bWindowInit := { || __Execute( "MATA010()" , "xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx" , "MATA010" , "SIGAFAT" , "SIGAFAT", 1 , .T. ) } Local cEmp Local cFil Local cMod Local cModName := "SIGAFAT" DEFA